ENERGÉTICO E ISOTÔNICOS

 

Repor as energias rapidamente. Assim pode ser descrita, resumidamente, a principal função das bebidas isotônicas. Além de repor a perda de eletrólitos, como o sódio, o potássio, entre outros, também repõe a perda de água e de glicose, em exercícios intensos e/ou que duram mais de uma hora, retardando, assim, a fadigamuscular, a hipoglicemia e a hipotensão além de câimbras e desidratação. Estes possuem concentração semelhante aos fluidos corporais, de forma que podem ser transferidas, facilmente, para a corrente sanguínea, repondo perdas causadas por transpiração excessiva. Os repositores hidroleletrolíticos têm se tornado o suplemento mais consumido por praticantes de atividade física.

Preferencialmente, a hidratação é feita com muita água e, quando for necessária a reposição, aí sim, entra o isotônico.

São bebidas isotônicas a água de côco, o soro caseiro e os muitos produtos industrializados a venda no mercado. Mas, fique atento. Nem sempre o seu consumo é recomendado.

Toda atividade física faz com que o organismo perca água, mas nem sempre é necessária a reposição de glicose e sais minerais. Para corredores de 10km, por exemplo, e até uma hora de corrida não há necessidade da utilização de bebidas isotônicas. Em corridas acima de uma hora, como, por exemplo, as 10 milhas (16km), meia maratona ou maratona há necessidade do uso de isotônicos;

Esse suplemento é recomendado durante e depois da atividade, e deve ser evitado por indivíduos que não praticam exercícios, sofrem de insuficiência cardíaca, hipertensão arterial ou doenças renais. Isso porque os isotônicos contêm muito sódio.

Crianças só devem consumir isotônicos se forem atletas que participam de competições. O uso indiscriminado, para substituir a ingestão de água ou sucosnaturais, deve ser abolido.

Antes dos exercícios, é indicado ingerir de 200 ml a 400 ml de líquidos. Durante o exercício, é recomendado consumir entre 500 ml e 2 litros de líquido, dependendo da duração e intensidade do exercício, além da temperatura ambiente avaliada no momento. Após o exercício, a quantidade vai depender de quanto de suor a pessoa perdeu. Ao fim do exercício, a quantidade de líquido que você deve repor corresponde a 1,5 vez o peso que você perdeu. Por exemplo: se você perdeu 400gramas, reponha 600 ml. Pode ser com suco, água, isotônico ou fruta. A reposição deve ser feita nas 2 horas seguintes ao treino, também de forma fracionada.

 

ENERGÉTICOS

 

Sabe-se que é importante se hidratar corretamente e ingerir carboidratos, substâncias fundamentais para o funcionamento do corpo, principalmente quando se fala em desempenho. É por conta dessa necessidade que existe o gel de carboidrato, energético disponível em sachê ou pó, recomendado pela praticidade e eficiência durante o esporte que, além de tudo, proporciona recuperação adequada dos músculos.

Em atividades de até uma hora, beba somente água. Acima de uma hora ou em exercícios de alta intensidade, é aconselhável a ingestão de bebida isotônica e do gel de carboidratos. O ideal é consumir, o carboidrato, a cada 40 ou 45 minutos de treino/prova, sempre com a presença de água. É importante beber água junto como consumo do gel. Por ser concentrado, ele necessita de líquido para ser processado facilmente pelo organismo. Além disso, consumir o gel e não tomar água depois deixa um gosto forte na boca.

Os géis existentes no mercado prediletos dos atletas têm na concentração cafeína (que reduz a percepção de esforço, pois modifica o limiar da dor), taurina (aminoácido que diminue a fadiga muscular), histidina (um analgésico natural que neutraliza o acúmulo de ácido lático nos músculos), maltodextrina (carboidratos complexos que garantem energia duradoura durante a prática), além das vitaminas C e E, que oferecem defesa contra os estragos nos tecidos musculares pelos radicais livres, atuando contra o envelhecimento precoce.

A Anvisa registra este tipo de produto como alimento para atletas, não sendo recomendado para os que se exercitam por lazer ou estética. O produto não substitui uma alimentação equilibrada e seu consumo deve ser orientado para prevenir danos à saúde. Existe a possibilidade do nível de produção de insulina aumentar, ocasionando um quadro de hipoglicemia, como efeito rebote. Em doses muito altas, os carboidratos podem causar diarreia, náuseas e vômitos. Diabéticos também devem ser orientados por seus médicos antes de consumir esse tipo de alimento.

A bebida é muito consumida por atletas que competem, para melhorar o desempenho físico. É importante ressaltar que, em doses muito altas, a cafeína era proibida por atletas porque fazia parte do doping. Em 2004, porém, o Comitê Olímpico liberou o uso.

O consumo excessivo de cafeína pode causar insônia, transtorno de ansiedade, gastrite, dor de cabeça, arritmia cardíaca e tremores.

As pessoas começam a apresentar sintomas se consumirem acima de 250 mg de cafeína por dia – cinco xícaras de café de 60 ml já atingem essa quantidade. Quem tem problemas cardíacos ou hipertensão arterial deve consumir uma dose menor.

Por essa razão, as bebidas energéticas devem ser ingeridas esporadicamente, quando a pessoa estiver muito sonolenta ou cansada e precisar se manter alerta para uma atividade. Além disso, crianças não devem tomar energético, pois a quantidade de cafeína é muito alta.

Os energéticos também não devem ser misturados com álcool, que faz com que a pessoa não reconheça seu real estado de embriaguez, levando-a a aumentar a chance de intoxicação, tanto pela bebida quanto pelo energético. O álcool também melhora a “palatabilidade” do energético, fazendo com que a pessoa beba mais.

Marque uma Consulta!

 

(31) 3586-2092 | 3291-0754

(31) 98988-8889

 

Rua Paracatu , Nº 1154 - Sala 507

Santo Agostinho- Belo Horizonte/MG

CEP: 30180-090

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle
  • YouTube - White Circle